Mato-grossense de 1000 anos

_images/20180618_07.jpg

Sobre o Projeto

A reconstrução facial do Mato-grossense de 1000 anos foi uma parceria dos alunos de Computação e História da UNEMAT, o departamento de Arqueologia da UFMT e do 3D designer Cicero Moraes.

A revelação da face realizou-se durante uma conferência de imprensa no interior da sede do Ministério da Cultura do Peru no dia 11 de outubro de 2017.

Sobre a Figura Histórica

Trata-se de um crânio indígena mato-grossense, do ano 1000, originário do Sítio Arqueológico Índio Grande, que abriga vestígios da civilização pré-colonial que ocupou a área de Descalvados, no Pantanal da região de Cáceres, por pelo menos um milênio, entre os anos de 800 a 1800 depois de Cristo (D.C.). Os primeiros exploradores europeus que chegaram à região no Século 16 chamaram essas populações de Xarayés, que significa ‘donos do rio’.

Repercussão

A reconstrução facial do Mato-grossense de mil anos teve ampla repercussão nacional, sendo uma das imagens do dia do G1 e pontuando no site da Jovem Pan.

O crânio em 3D compartilhado na Wikimedia Commons foi o primeiro a ser enviado ao repositório e hoje ilustra dezenas de artigos em dezenas idiomas.